dieta para emagrecer Saúde

Radicais livres: O que são e porque causam o envelhecimento da pele

Radicais livres: O que são e porque causam o envelhecimento da pele

O que são radicais livres e porque estão relacionados ao envelhecimento da pele.

Você já deve ter ouvido falar sobre antioxidantes e radicais livres, mas é bem provável que saiba muito pouco sobre os radicais livres.

Saiba que eles prejudicam o corpo podendo causar envelhecimento e na pior das hipóteses doenças graves.

No entanto, há várias maneiras de proteger-se deste processo.

Descubra agora como lidar com eles.

O que são os radicais livres?

Eles são átomos, geralmente oxigênio, altamente instáveis e reativos, que são liberados no momento em que o alimento é metabolizado nas células para ocorrer a produção de energia.

São moléculas instáveis e que apresentam um elétron que tende a se associar de maneira rápida a outras moléculas de carga positiva com as quais pode reagir ou oxidar.

Eles também são produzidos por influências externas, no instante em que o nosso corpo recebe o impacto de inúmeros contaminantes ou por radiação.

Os radicais livres ficam instáveis, no momento em que ocorre a perda de um dos seus elétrons e na tentativa de substituí-lo acaba tomando um de outros átomos.

Isso cria uma reação em cadeia que gera enormes prejuízos às células, se manifestando com os anos em forma de envelhecimento e muitas doenças.

Os radicais livres formam-se em muitos processos no corpo, por exemplo:

  • através do metabolismo ou pelo sistema que fica imune para atacar os vírus e as bactérias do organismo.

No entanto, eles podem ser formados através dos fatores ambientais, do tabagismo, pela má oferta de doses crescentes de radicais livres que estão no corpo.

O corpo lida com radicais livres que ocorrem naturalmente, mas se a respectiva produção é excessiva, danos começam a ocorrer no corpo.

Principais fontes de radicais livres

 

São muitas as fontes, algumas delas são:

  • a fumaça de cigarro
  • os raios ultravioletas do sol
  • o metabolismo celular
  • a poluição ambiental
  • escape de automóveis

Além disso, o corpo produz radicais livres para fins específicos.

Um destes é a de proteger o organismo contra agentes externos.

Um exemplo são as células imunitárias brancas chamadas de macrófagos e neutrófilos que fazem parte do sistema imunológico.

Estas células utilizam altas quantidades de radicais livres de oxigênio que auxiliam o organismo a lutar contra infecções invadindo os vírus e as bactérias até matá-los.

Nosso corpo detecta os radicais livres

Estima-se que o DNA de cada célula é atingido 10.000 vezes por dia por radicais livres.

O nosso corpo tem quantidades de mecanismos biológicos para detectar estes radicais livres e outros destinados a reparar os danos causados por eles.

No entanto, danos ao longo dos anos são acumulados sem poder ser reparado devido a ineficiência do sistema.

Os mecanismos de reparação de danos reduzem sua eficácia conforme o acúmulo de danos acelera.

Se os danos estão ocorrendo por muitos anos, eventualmente, excedem a capacidade do corpo de ser reparado.

O resultado de tudo isso é que o nosso corpo torna-se menos funcional fraco e vulnerável a doenças.

Isso ocorre inicialmente com o corpo criando radicais livres em taxa e quantidade muito elevada capaz de exceder a capacidade do corpo de se livrar deles.

Esta condição é conhecida como o stress oxidativo.

Estima-se que ele contribui para o desenvolvimento de mais de sessenta doenças degenerativas, tais como problemas do sistema imunitário e do sistema nervoso, doenças do coração, artrite, cancro e cataratas.

Efeitos dos radicais livres sobre as mitocôndrias

Atualmente a maioria das pesquisas sobre os radicais livres fica concentrada nos efeitos dos mesmos sobre as mitocôndrias.

Elas são estruturas dentro das células que se dedicam a produzir energia.

As membranas das células e especialmente o cérebro, tem muitas gorduras poliinsaturadas conhecidas como ácidos graxos (principais tipos são o ômega 3 e o ômega 6).

Esta gordura é muito susceptível à oxidação para produzir grandes quantidades de radicais livres.

As moléculas danificadas por radicais livres se acumulam originando uma substância ou pigmento de lipofuscina (ela detecta o tempo de vida de uma célula), quanto mais lipofuscina mais velha é a célula.

Ela causa uma obstrução no funcionamento normal da célula.

A lipofuscina se manifesta como manchas amareladas em inúmeras partes do corpo, principalmente no fígado, cérebro e coração.

Ela é também uma das principais causadoras da catarata e está presente no que é conhecido como “manchas de velhice” que ocorrem como um resultado da exposição prolongada aos raios ultravioleta do sol, conhecidos como raios UV.

Por isso esteja sempre protegendo sua pele quando estiver ao ar livre exposto ao sol.

O adequado é utilizar um protetor solar com FPS com fator maior que 15.

Os raios UV aumentam a produção de radicais livres na pele e são a principal causa do envelhecimento da pele.

Doenças que podem causar a produção de radicais livres e envelhecimento da pele

Os radicais livres são responsáveis pelo envelhecimento da pele.

Pessoas menos expostas ao excesso de radicais livres vai aparentar a idade bem mais tarde.

Em ação, os radicais livres podem causar doenças cardiovasculares pelo aumento dos níveis de colesterol ruim, elevando muito o risco do surgimento de câncer em regiões como:

  • boca
  • faringe
  • esôfago

Eles também contribuem para o desenvolvimento da doença de Parkinson, de Alzheimer, arteriosclerose e diabetes.

Causas

As causas em que há um desequilíbrio, originando grande quantidade de radicais livres são:

– Realização de dieta inadequada deixando o sistema antioxidante pobre, ocorrendo a produção elevada de radicais livres
Muito estresse
– Exposição em demasia a poluição
– Uma alimentação inadequada
– Tabagismo
– Pressão alta
– Ser exposto a ondas eletromagnéticas como o raio-X
– Diabetes
– Infecções por vírus e bactérias
– Gorduras aumentadas no sangue
– Oxigenação incorreta do sangue
– Avanço da idade

Outros fatores causadores de radicais livres

Pouco repouso

O sono da noite é uma maneira muito eficaz para as células, que gerenciam estarem aptas para agir eliminando os radicais livres produzidos durante o dia.

Muito exercício físico

Quando é realizado muito exercício manter boas horas de sono é essencial para os músculos se regenerarem e formarem um acumulado de toxinas que serão eliminadas.

Maus hábitos

O consumo de tabaco, álcool, drogas, etc., são muito perigosos para suas células.

Não só por eles estarem concentrando os radicais livres, mas também por conseguirem eliminar seus antioxidantes naturais deixando seu corpo indefeso.

Estresse, ansiedade, etc

Eles são o mal do nosso tempo. Deixando nosso corpo propício ao aumento dos radicais livres.

Exercício físico na cidade

Ao treinar em locais com elevada poluição, você estará elevando a sua dose de radicais livres diariamente.

Prefira exercitar-se em lugares com muitas arvores como parques ou campo.

Os radicais livres causam lesões nas suas células

Estas lesões são prejudiciais para as células, principalmente para os homens.

Podendo facilitar o aparecimento de doenças como aterosclerose, contração prejudicial dos vasos sangüíneos e trombose.

queima-de-48-horas Codigo-Emagrecer-De-Vez-quero-falar-com-voce

Os antioxidantes auxiliam na eliminação dos radicais livres

Os radicais livres em excesso, no instante em que ficam em contato com substâncias antioxidantes são eliminados rapidamente.

Mas só se a produção dos radicais for pequena.

Manter seu intestino saudável é de suma importante para que ocorra uma boa absorção de nutrientes, entre eles os antioxidantes.

Outro fator importante é que no momento em que o antioxidante realiza o seu trabalho de proteção no organismo, ele se torna um radical livre.

E neste instante várias coisas começam a ocorrer.

Como outro antioxidante que pode vir em seu auxílio e regenerá-lo ou o antioxidante pode destruir a si mesmo e na pior das hipóteses pode reagir causando um dano celular.

Por este motivo, para ter um organismo saudável é importante não somente se concentrar em comer grandes quantidades de um ou dois antioxidantes, mas comer uma variedade deles.

Assim manterá sua saúde equilibrada.

As substâncias antioxidantes dos alimentos

Vitamina A (abóbora, fígado, brócolis, cenoura e melão);

Vitamina C – vegetais verdes escuros e frutas cítricas (laranja, tomate, mamão, limão, brócolis, acerola e morango);

Vitamina E (vegetais folhosos, azeite, gérmen de trigo, cereais, arroz, verduras, nozes e legumes);

Magnésio (cereais integrais e castanhas);

Zinco, cobre e manganês (castanhas, legumes e grãos integrais);

Cromo (grãos integrais);

Selênio (manteiga, camarão, castanhas, cereais integrais, aveia, salmão e oleaginosas);

Betacaroteno ou pró-vitamina A (cenoura);

Licopeno (mamão, melancia, pitanga, tomate, goiaba);

Fenólicos (uva roxa e chás de Camellia Sinensis);

Resveratrol (uva roxa).

Exercícios físicos combatem os radicais livres

Se o exercício físico for realizado corretamente, com uma intensidade baixa ou moderada e de maneira contínua ocorrerá um consumo maior de oxigênio pelo corpo.

Fazendo acontecer um grande bombeamento de oxigênio pelos tecidos o que desencadeará na eliminação de radicais livres.

Sem estes exercícios as defesas internas do organismo que combatem os radicais livres ficariam enfraquecidas.

Dentre esses exercícios, estão:

  • corrida
  • ginástica aeróbica
  • caminhada
  • ciclismo
  • musculação
  • alongamento
  • natação

Formas de se exercitar que evitam o surgimento dos radicais livres

Quando você exercita sua musculatura e articulações mais de 75 minutos, pode causar danos oxidativos nas células metabólicas tóxicas.

Para evitar que isso ocorra é necessário programar bem o seu treinamento de resistência, de modo que seu corpo comece aos poucos a ficar habituado com o novo esforço físico.

Também é de suma importância que você descanse seu corpo para remover os elementos tóxicos e os riscos de danos pelos radicais livres.

Lembre-se de respirar corretamente.

Realizar uma técnica de respiração de forma inadequada pode gerar um aumento nos radicais livres.

Você deve evitar a ocorrência de overtraining, que é o excesso de treinamento não respeitando os intervalos para o descanso.

Podendo gerar uma lesão e o aumento da oxigenação e desgaste celular acelerando o envelhecimento das articulações e músculos.

A produção excessiva de radicais livres está diretamente ligada ao envelhecimento precoce e ao aparecimento de doenças degenerativas.

Produzidos pelo nosso próprio organismo.

Portanto, é muito importante organizar seu treino para que fique seguro e adequado ao seu condicionamento físico.

Dieta contra os radicais livres

A melhor dieta contra os radicais livres é através dos antioxidantes e sempre manter uma alimentação adequada onde a maior parte é de origem vegetal.

Os antioxidantes são bem combinados em cada alimento.

Conheça uma lista com os alimentos antioxidantes que não devem faltar na sua dieta.

Azeite de oliva
Abacate
Alho
Algas
Cebolas
Grãos integrais
Chocolate amargo
Cítrico
Coles
Frutas: banana, kiwi, peras, maçã, ameixas secas, laranja, etc.
Frutas secas
Legumes
Pimentas
Cogumelos
Soja
Suplementos naturais
Aveia
Levedura de cerveja
Germe de trigo
Alfafa verde
Geleia real
Pólen
Mel
Ginseng
Spirulina
Pino (Pycnogenol)
Chá verde
Uvas e vinho tinto
Cenouras

Combatendo o excesso de radicais livres

No meio intracelular temos antioxidantes naturais:

  • catalase,
  • glutationa peroxidase
  • superóxido-dismutase.

A Glutationa contém selênio e ajuda na prevenção da formação do radical hidroxilo.

No plasma do sangue tem antioxidantes naturais (proteínas) como transferrina, ceruloplasmina, lactoferrina e albumina.

Estes antioxidantes naturais ficam reduzidos em pacientes com diabetes.

Se há antioxidantes naturais no organismo que ajudam no combate dos radicais livres, então porque mesmo assim ocorre o envelhecimento do corpo ou surgem doenças crônicas?

Porque a produção de antioxidantes naturais e antioxidantes que são obtidos através de alimentos, não são suficientes para muitas pessoas.

Em algumas condições, tais como a poluição do meio ambiente, o tabagismo, produtos ricos em alimentos processados ​​entre outros, haverá um aumento da produção de radicais livres o qual o organismo pode não conseguir combater totalmente, surgindo doenças e o tão temido envelhecimento.

Os suplementos antioxidantes podem evitar ou melhorar os danos causados pelos radicais livres ao se exercitar em demasiado?

Embora seja bem conhecido que deficiências de vitaminas podem criar dificuldades na formação e recuperação, o papel dos suplementos com antioxidantes em um atleta bem nutrido é controverso.

Os estudos experimentais geralmente são conflitantes e as conclusões são evasivas.

No entanto, pesquisas mostram que o aumento da ingestão de vitamina E traz benefícios contra o dano oxidativo induzido pelo exercício.

A hipótese é que a vitamina E também esteja no processo de recuperação após a realização de exercício físico. Mas não há certeza da quantidade certa de vitamina E necessária para produzir estes efeitos.

Sabe-se que uma dieta feita de forma correta pode fornecer a quantidade necessária de vitamina E na maioria dos atletas, mas para alguns isto pode não ser o bastante, tendo que completar com suplementação.

Apesar de muitas pesquisas ainda não há dados suficientes para apoiar o uso de maiores quantidades de outros antioxidantes.

Sobre o autor | Website

Empreendedor Digital e escritor de artigos relacionados a saúde e emagrecimento, como o Blog Emagrecer e Perder Peso. Você mais leve... você feliz.

Receba dicas incríveis para ter um emagrecimento saudável. Pegue seu Ebook grátis

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.